Estudar na Austrália Estudar no Canáda Estudar na Europa

Testemunhos - Austrália


 

 

Cátia Sousa

“Terminei a semana passada o Mestrado em Educação com distinção. Fiquei muito feliz por ver os resultados do esforço ao longo destes 18 meses.

O feedback é deveras positivo. Embora a área da Educação seja bastante exigente, o apoio fornecido pelos professores e pelas estruturas de apoio ao aluno funcionam muito bem.

Estou a trabalhar no Consulado e a coordenar a Escola de Português em Fremantle e Currambine.

Está a ser uma experiência enriquecedora e fascinante.”


Miguel Rosa

“Recomendo 100%. Eficácia e rapidez definem a Information Planet Portugal e especialmente a excelente profissional Marta Caetano que me ajudou em todo o processo de obtenção do visto Work & Holiday para a Austrália.

Uma experiência incrível que recomendo e irei passar sempre a palavra a amigos e conhecidos.

Novamente um grande obrigado. São uns senhores.”








Sónia e João Silva

“Deixar tudo para trás e voar para a Austrália sempre fez parte dos nossos sonhos. Desde pequena me lembro de assistir às imagens dos australianos na praia com gorros de pai natal e as celebrações da Passagem de ano. Mas tudo isto parecia um sonho impossível de concretizar, até que um dia saturados da crise que se fazia sentir no nosso país, decidimos que emigrar para a Austrália.

Depois de alguma pesquisa na internet descobrimos a Information Planet e este foi o nosso primeiro contato com o processo de emigração. Um passo tão grande deve ser bem preparado e necessitávamos de toda a informação que pudéssemos recolher. Desde logo fomos muito bem recebidos pelo Miguel e pela Marta Caetano, pessoas 5 estrelas que partilharam toda a informação e de forma muito honesta nos puseram a par de todos os custos e etapas do processo. Confesso que inicialmente tivemos vontade de desistir, tal o esforço necessário e recursos financeiros. Mas hoje, agradeço muito aquela reunião que me preparou para este salto. Não foi fácil mas sem dúvida que valeu muito a pena. Ao chegarmos a Sydney continuámos a contar com o apoio da Marta por email sempre pronta a responder às nossas questões e também à agência da Information Planet em Sidney.

A adaptação nesta cidade é fácil, os australianos são o povo mais simpático e divertido que existe. Gostam de receber pessoas de vários países e culturas, desde o barista ao polícia, todos eles nos questionam como é o nosso país e se estamos a gostar da Austrália. Ao início até estranhámos tamanha simpatia e interesse, ou não fossemos nós portugueses…

Ao chegar a Sydney começamos logo a procurar trabalho, dependendo da área pode demorar mais tempo, mas sempre se arranja qualquer coisa, nem que seja a trabalhar num pub. O processo de entrevistas é bastante descontraído mas ao mesmo tempo bem estruturado. De um modo geral, o ambiente profissional é bastante amigável e encontras pessoas de todas as nações, sempre dispostas a aprender mais sobre a tua cultura.

O mais complicado talvez seja arranjar um apartamento, o processo é demoroso e exigente. Inicialmente, o melhor será partilhar quarto com um local ou um hostel.

E o resto já sabem paisagens de cortar a respiração, animais inacreditáveis e aranhas mutantes.

Passados 10 meses em Sidney podemos afirmar que faríamos tudo novamente. É uma terra fantástica, temos amigos de todas as partes do mundo e já visitámos autênticos paraísos na terra. É sem dúvida uma experiência incrível a nível pessoal e profissional.

Life is good mate!!"


Salvador Patricio

“O mestrado está concluído. Foi ótima a experiência principalmente a exposição internacional que tem o programa e a forma como está organizado. Principalmente a nível de tecnologias de informação.

Quero continuar em Perth. Não conheço uma cidade que ofereça tanta qualidade de vida. Tudo é relativo, mas no que toca a mim tem quase tudo o que gosto. Alguém que tenha os mesmos gostos que eu vai gostar de certeza. Perth oferece facilidade em fazer todo o tipo de desportos, boa comida, boa bebida, limpo e bem cuidado, espaçoso, sítios lindos para visitar na região, boa musica, muitos festivais de verão, parques, etc. Casual work é bastante fácil de encontrar e bem pago. A vida é cara por outro lado."


Hugo Jorge

(Vai iniciar o Master of Community Development na Murdoch University em Perth. Esta semana está a frequentar a orientation week, ou seja, a semana de receção ao estudante internacional.)

"Esta semana de orientação foi muito boa. Tudo aquilo que qualquer aluno pode desejar: palestras sobre estudos e sobre a vida em Perth, passeios a Fremantle, à praia, a um parque natural, tour pela biblioteca, pelo campus, apresentação dos diversos serviços que estão ao dispor dos alunos (free counselling, free “how to Study” workshops, cultural Exchange, etc.). Os alunos mais velhos voluntariaram-se para apoiar os novos, o staff da Murdoch é excelente no apoio e simpatia, os professores são muito acessíveis, práticos e simples.

Até ao momento, posso dizer que a Murdoch é um local óptimo para se estudar pelas instalações e pessoas. Recomendaria sem qualquer reserva a qualquer pessoa que queira vir estudar para cá. Espero que possam vir, através de vós, mais alunos portugueses estudar para cá."


Catarina Santos

"Desde pequena que sonho morar na Austrália. Talvez inspirada pelos documentários que andava sempre a ver. Quando percebi que a Austrália tinha uma das melhores universidades na área que queria estudar, atirei-me de cabeça.

Com a ajuda da Information Planet foi tudo mais fácil, e senti-me mais segura, porque um passo tão grande tem que ser feito com cuidado.

A universidade fica na Tasmânia, o que no inicio me levou a ponderar se era boa ideia ir para um sitio tão pequeno, que geralmente diminui a oferta de emprego. Mas como queria mesmo fazer o meu mestrado nesta área, vim, e sinto que foi o melhor que fiz. Launceston é excelente. Tem uma beleza natural, podemos estar na floresta dentro da cidade.

Adaptei-me muito rápido, arranjar trabalho não foi muito difícil. Consegui alguns trabalhos casuais, o que não só ajuda a viver aqui, mas também integrar na sociedade. A Tasmânia é um sítio lindo! Começa por não ser tão diferente de Portugal, as pessoas são excelentes, assim como a universidade. Aqui a vida selvagem é excelente, os animais são fabulosos e aproximam-se bastante, especialmente quando estamos a (tentar) fazer piqueniques. As pessoas na universidade são muito unidas, e ajudam muito. Para o futuro quero fazer o doutoramento nesta universidade, e quem sabe ficar a viver aqui."


Daniela Luz


"O gosto pelas viagens, o querer conhecer e aprender mais fez-me vir descobrir Austrália, Sydney.

Então eu e o meu grande irmão Remy decidimos agarrar esta aventura juntos e partir. Através de um amigo nosso soubemos que poderíamos contar com a ajuda da Information Planet para nos orientar, dar mais informação, visto, inscrição na escola. E assim foi, recebemos todo o apoio por parte da Marta Caetano da Information Planet de Lisboa. O mesmo digo dos de Sydney que, passaram a ser um género de “uma família” para nós!

Viver num país de língua inglesa fazia-me sentir empolgada para melhorar o meu inglês, portanto apostei num curso de Inglês intensivo e tentei arranjar um trabalho que me fizesse evoluir nesta parte, neste caso, num Bar/Restaurante.

Procurei trabalho na nossa área, mas no início com a questão do reconhecimento dos cursos e o tipo de vistos tudo foi bem complicado. No entanto, tal como diz o ditado “Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura” e duas semanas antes do meu voo para Portugal, ingressei na “Sylvanvale Foundation” como Educadora Social para dar apoio socioeducativo a crianças com problemas mentais. Tratei de adiar a minha viagem, bem como os meus planos para os próximos meses. O meu irmão partiu.

Efectivamente, estou bastante surpreendida e orgulhosa com o reconhecimento e o valor que o meu curso tem aqui e a forma organizada como trabalhamos. Também são exigidas muitas certificações e formações, mas a minha instituição tem a capacidade de as providenciar. É maravilhoso podermos pôr em prática o que aprendemos em qualquer parte do mundo, aprender novos métodos com novas equipas, novas visões e partilhar, educar e AMAR. Eis o website onde podem ficar a conhecer um pouco mais do nosso trabalho e até poder beneficiar de algumas ideias: www.sylvanvalefoundation.com.au

Para além disto vive-se muito bem aqui, tenho viajado por terras Australianas. Basta sair da cidade para nos inspirarmos com a rica biodiversidade que a Austrália tem para oferecer. O verde está sempre presente, muitos jardins, muitos parques, excelente! Não posso deixar de referir a importância das amizades construídas aqui quer com portugueses quer de outras nacionalidades, que são bastante intensas. Aqui com os meus amigos portugueses, sentimos uma união incrível.

Nem sempre é tudo tão fácil, mas deixo a mensagem que todos os esforços valem a pena, pois aos poucos serão compensados!

Obrigada à Information Planet de Portugal e Sydney pelo incondicional apoio e carinho!"


Sónia Brazão

"O espírito aventureiro já existia em mim quando ainda estudava em Portugal. Sempre que havia uma possibilidade de fazer um curso noutro país, aí estava a Sónia de malas aviadas, sem hesitar.

A Austrália era um sonho por realizar. Logo que se proporcionou e quando através de um amigo tive conhecimento da Information Planet e dos serviços que prestavam, para quem como eu desejava conhecer este país tão longínquo mas ao mesmo tempo tão atractivo, não tive qualquer dúvida e aqui estou eu.

Há um ano que vivo em Sydney e devo dizer que estou cada vez mais encantada com esta cidade. As pessoas com quem nos cruzamos todos os dias na rua são de todos os lugares do mundo possíveis e imaginários, a beleza única da cidade em si, os monumentos e já para não falar das praias lindíssimas, tornam esta cidade muito especial e atractiva para visitar e viver.

Durante este ano aperfeiçoei o inglês, trabalhei, mas também tive a oportunidade de viajar e conhecer um pouco da Austrália. O que mais me impressionou foram realmente as praias lindíssimas, autênticos paraísos, daqueles que pensamos que só é possível ver em postais. A todos os que pensam em visitar, estudar ou trabalhar na Austrália não hesitem, é uma experiência única na vida, daquelas que nunca mais esquecemos."


Rui Taborda

"Quando um amigo meu me falou pela primeira vez em ir para a Austrália a minha primeira ideia foi: Nem pensar! É muito longe... Contudo, e após muita persuasão e quase 6 meses de ponderação da minha parte, decidi deixar tudo o que tinha e que conhecia e embarcar naquela aventura e partir para um sítio de que muito pouco conhecia, e onde não conhecia rigorosamente ninguém! Fui com um objectivo em mente, estudar inglês e fazer um mestrado na minha área, e assim foi. Tive a oportunidade e decidi estudar em dois sítios diferentes, Gold Coast e Sydney, e foi sem dúvida uma das melhores decisões que tomei. Conheci pessoas e sítios fantásticos, passei por situações inéditas, tanto boas como menos boas, saí da minha zona de conforto e pus-me à prova.

Ao chegar, e em jeito de balanço final após quase um ano e meio na Austrália, sinto que voltei com muito mais do que a sensação de missão cumprida, vim com novas experiências, amizades, conhecimento e com um grande crescimento pessoal na bagagem, tudo para os quais não existe preço."

 

João Gonzaga Filipe

"O "bichinho" Austrália andava atrás de mim há algum tempo e quando terminei a licenciatura decidi que aquele era o momento! Armado de perguntas, dúvidas, algum cepticismo mas muita vontade de descobrir o país para onde queria ir, irrompi pelo escritório da Information Planet... naquele dia decidi que ia para a Austrália! Seguiram-se reuniões, telefonemas e muitos mails que solidificaram a minha vontade e tornaram real a minha ida! Em Outubro de 2009 deixei o que conhecia para trás e fui à descoberta da vida, e de mim... e descobri!

Descobri que sermos donos das nossas vidas nos torna mais fortes, que passar por dificuldades nos faz crescer, que os nossos medos se desfazem quando os enfrentamos e que ser feliz depende de nós! Vivi experiências memoráveis, conheci pessoas fantásticas, vi paisagens únicas e voltei, em Dezembro de 2010, a Portugal com a minha bagagem cheia de tudo o que vivi e com a certeza que tomei uma das melhores decisões da minha vida!"


Daniel Sobral

"O fascínio pela Austrália já durava há uns anos e, em 2009, após  ter ficado desiludido com o meu curso de Gestão em Portugal surgiu, através de um amigo, a possibilidade de vir estudar para a Austrália. Definidas as prioridades, completar o Bachelor of Business com sucesso e gastar o menos possível, Perth pareceu-me a melhor opção. O facto de ser uma cidade pacífica e bem tratada, as ofertas de emprego e o baixo custo de vida quando comparada com Sydney ou Melbourne foram os factores determinantes para a minha escolha.

Frequentar uma universidade australiana pesa muito no bolso, por isso, pela necessidade de planear todo o orçamento com o máximo de precisão, todo o processo até cá chegar levou largos meses.

Perth, sendo a Metrópole mais isolada do mundo, revelou-se bastante diferente daquilo a que estava habituado. Tirando o CBD, composto por arranha-céus, toda a cidade é um enorme subúrbio composto maioritariamente por vivendas e por isso, apesar da rede de transportes públicos servir para as deslocações essenciais, grande parte dos estudantes e backpackers não dispensa ter carro próprio ($800 a $2000). Conseguir casa foi fácil  e dentro do orçamento, 4 dias entre a candidatura e deixar o backpacker pela casa nova. Actualmente demoro 10 min a pé entre casa e a universidade, atravessando um bairro residencial muito calmo e um dos muitos parques da cidade, o que ajuda a que o dia-a-dia seja muito relaxado.

Quanto a emprego, Perth não pára. Estão sempre a surgir e a desaparecer oportunidades; hotelaria, restauração, construção civil e limpezas, é por onde ficam a grande parte dos backpackers. Para fins turisticos, Perth é uma cidade que se visita em poucos dias, tem uma vida nocturna que só satisfaz quem está ocupado durante a semana e gosta de sair ao fim-de-semana, contudo é uma cidade óptima para golf, surf, kite surf, etc e está rodeada de um itinerário único com sitios como Coral Bay e Exmouth a norte ou Margaret River e Albany a sul,o que faz das “road trips” o principal atractivo para quem decide viajar por Perth.

Para terminar devo só dizer que nunca pensei gostar tanto do sítio onde estudo, a Edith Cowan University, que está longe de ser das dez melhores na Austrália. Não há aquele culto do professor que existe em algumas universidades portuguesas, o que permite uma relação mais próxima e mais produtiva; as turmas são pequenas, as instalações oferecem todas as condições e as unidades são muito bem planeadas, o que permite que os alunos não se percam."


Catarina Antão

""Austrália?! Nem pensar, é do outro lado do mundo!" Esta foi a minha resposta quando um dia alguém me surgiu com esta ideia que a princípio me pareceu descabida. Mal sabia eu que passados 3 meses já cá estaria.

Tudo de início parecia impossível de realizar e milhares de perguntas surgiram na minha cabeça: o que tenho que fazer? como conseguir o visto? o que fazer quando lá chegar? conseguirei emprego? que curso comprar?

Todas as dúvidas se desvaneceram quando a Information Planet apareceu na minha vida...e após as infindáveis horas que passei no escritório do Chiado.

A cidade eleita foi Gold Coast. Cidade que nunca antes tinha ouvido falar mas que acabou por ser, a meu ver, a melhor opção. Coolangatta, uma pequena zona de Gold Coast, onde se situa a escola de Inglês, foi onde vim parar. Aqui vive-se ao ritmo das ondas, do surf, do bom tempo e com muitoooo pouco stress...Aqui todos são surfistas (excepto eu) o que se torna muito aborrecido quando não há ondas. Parece uma aldeia, onde todos se conhecem e onde os barbecues na praia são uma constante. A oferta de emprego não é muita mas sempre se vai conseguindo alguma coisa. Como nem tudo pode ser perfeito, o verão está a ir embora e com ele todos os amigos que fiz aqui. Gold Coast é uma cidade de passagem e a minha foi de 5 meses. Um período maravilhoso, uma experiência incrível...e que está prestes a recomeçar, desta vez em Sydney!!"


Tâmara Nóbrega

"Sempre quis sair de Portugal. Quando voltei de Barcelona, comecei a pensar no que fazer a seguir e a ideia de vir para a Austrália não me saia da cabeça. A Information Planet ajudou-me a compreender as melhores formas de vir para o outro lado do mundo e os vários tipos de visto.

Encontrei o Mestrado que parecia ter sido "organizado" para mim e depois de mais pesquisas estava decidida que era para a Gold Coast que devia vir.

Estive a viver dois meses em Coolangatta (que fica na fronteira de NSW com QLD) a estudar Inglês Académico e agora estou na Chevron Island desde finais de Dezembro.

Esta zona é linda e as pessoas são muito simpáticas, limpas e civilizadas.

Ainda não tive oportunidade de viajar muito, mas já visitei alguns lugares muito bonitos e vivi experiências únicas com pessoas únicas.

Estive a trabalhar como waitress em Coolangatta e continuo a trabalhar na mesma área em Surfers Paradise. Como sou designer é fácil ir fazendo uns freelances, mas ao inicio é bom ter um trabalho na área da hospitality. Na zona da Gold Coast não é muito simples porque são locais relativamente pequenos e por isso não existe tanta oferta. Eu tive muita sorte e consegui sempre encontrar qualquer coisa. E sim, pagam bem (entre $15 e $18)!!

Estou desejosa de começar o Mestrado e conhecer pessoas da minha área.

Se tiverem oportunidade de vir para a Austrália, acho que é sempre uma boa experiência... para viver, trabalhar, estudar ou viajar... e como é enorme e tem tantos locais diferentes, é possível que qualquer pessoa se sinta bem aqui.

Quanto a mim... foi das melhores decisões da minha vida

coolingattas.blogspot.com"


Patrícia Rocha e André Simão

"Sydney

Três meses passaram em menos de nada, não sei bem porquê mas achamos que o tempo passa mais rápido deste lado do globo! Chegámos a Sydney no final de Outubro, e até hoje temos vivido cada dia da melhor forma possível. Para além de estar a ser óptimo para melhorar o nosso nível de inglês, esta é sem dúvida uma "once in a lifetime experience". Sydney e os seus arredores são fantásticos e espero poder ver muito mais deste país enorme que tem tanto para ver e fazer, aliás, por nós, ficávamos por mais uns bons tempos.

A todos os que têm a possibilidade de vir até este lado do mundo, também conhecido por Down Under, não pensem duas vezes...entrem no avião sem olhar para trás e vivam esta experiencia que não dá para ser contada, apenas vivida!"


Miguel Gouveia Freitas

"A Austrália sempre foi dos meus países de eleição para viver, tudo o que sabia era pela TV, pelo que via no estilo de vida das pessoas nas séries australianas, isso aliado às estatísticas que a colocam no topo do ranking dos países com melhores condições de vida levaram-me a assistir a uma primeira reunião na Information Planet. A partir desse dia já tinha decidido, num espaço de 2 a 3 meses após essa decisão estava no avião para Sydney, onde vim para tirar um curso de 3 anos de Audio Engineering and Music Production na JMC Academy. Um curso excelente, mas que não me deixa muito tempo livre para trabalhar. Ainda assim, quando se começa, difícil é parar e ter que recusar alguns trabalhos, embora só faça trabalhos casuais na área de espectáculos, paga bem melhor que em Portugal!

Escolhi Sydney para viver, mas creio que qualquer outra cidade será uma óptima escolha também, a adaptação até poderá ser mais fácil, já se sabe como são as pessoas nas grandes cidades... O ambiente é sempre relaxado, pratica-se muito desporto e praia e o pessoal adora a sua cervejinha. A única diferença é que não a podes beber na rua como na Tuga!

O meu melhor conselho é: vem, diverte-te, faz imensos amigos de todo o mundo e a partir dai fazer dinheiro também não vai ser difícil, importante é arranjar contactos. G'day mate! Have a good one!"


Rita Lopes

"A vontade de viajar era muita, só não sabia era para onde, mas um clique no computador fez as suas maravilhas e vim parar a Sydney! A agência foi de facto o grande empurrão, apoio e ajuda, as dúvidas foram todas explicadas e nos últimos dias em Portugal já estava com uma grande vontade de começar uma nova vida aqui.

Fiz amigos logo no primeiro dia e as coisas foram correndo naturalmente! Estou cá há 4 meses e considero que Sydney é realmente uma óptima cidade para se viver! A cidade, a praia e o campo estão a uma distancia de poucos km o que facilita o movimento e as escolha de ambientes! Acho que tomei a melhor decisão possivel ao vir para cá e agora é só aproveitar ao máximo todas as oportunidades que esta cidade tem para me oferecer!!!"



Marisa Sousa

"Confesso que a minha vinda para a Austrália foi planeada num ápice! E depois da primeira reunião na AWS/IP fiquei mais que convencida que seria a grande aventura e oportunidade de mudar de vida. Vim para ficar um ano mas nunca se sabe, estou a adorar!

As pessoas são muito simpáticas e sorridentes, metem conversa só porque sim. Sydney é uma cidade fantástica para viver, tem tudo o que se possa imaginar. A diversidade cultural é imensa e há sempre o que fazer! É incrível a velocidade com que fazemos amigos todos os dias. Já tenho viagens planeadas pela Austrália, como seria de imaginar. É impossível vir até ao outro lado do Mundo e conhecer só um pedacinho! Se ainda estiverem com dúvidas...não pensem muito, mergulhem na aventura de conhecer a Austrália!!"


Jurema Maia

"A aventura começou há quase sete meses atrás, primeiras impressões, já não me encontro no nosso pequenino Portugal. Sydney é uma cidade enorme, com uma mistura cultural bastante grande, e em que todo o lado é possível conhecer gente nova. Aconselho a quem gosta de aventuras, e de descobrir novas costumes e culturas a ingressar nesta aventura. A diversidade não se encontra apenas junto das pessoas, mas depois junto dos animais e natureza…. Como digo deste que aqui cheguei “Austrália, terra de contrastes”.

Acho que todos os que têm coragem, deveriam aproveitar a oportunidade de conhecer um país novo e aprender com todas as peripécias que vos esperam. Os que não têm, é só dar um pequenino passo e ganhar, pois é uma experiência bastante enriquecedora."


Nuno Oliveira

"Viajar foi um prazer que descobri à uns anos atrás. Fascina-me conhecer pessoas, culturas diferentes, novos hábitos e costumes, cidades e diferentes panoramas sociais. O desejo de viajar para a Austrália já vem de longe. Para dizer a verdade, nem sei o tempo ao certo. Possivelmente por ser mesmo à muito tempo. Escolhi Melbourne como porto de abrigo. Porquê? Não é a capital, não é a maior cidade da Austrália, mas é conhecida como o centro cultural da Austrália. Cultura passa-se aqui. É uma cidade fantástica. Por um lado, moderna e organizada, por outro, com uma grande diversidade cultural.

A melhor forma de aproveitar o máximo da cidade foi vir para cá estudar. Assim posso viver a vida Australiana no seu melhor e conhecer pessoas dos 4 cantos do mundo que, tal como eu, vieram para cá estudar. Não só os Australianos como também rapazes e raparigas que vieram atrás de um sonho, o sonho de conhecer a Austrália.

Tudo isto não teria sido possível sem a ajuda preciosa da IP. Prestaram-me todo o apoio que precisei desde o minuto em que os contactei. Os colaboradores da IP são 200%. Foram sempre muito prestáveis e disponibilizaram toda a sua ajuda para resolverem o meu processo. Em cerca de 3 semanas tive o meu caso resolvido, o meu visto, o meu curso e a garantia de estarem sempre disponíveis para algo que precise de futuro.

Resta-me agradecer todo o apoio à IP."


Duarte Bazaliza

"O sonho de sair de Portugal era antigo, mas o click mágico só surgiu em meados de 2008.

Assim, após decidir que ia “abandonar” a minha carreira como advogado em Portugal, comecei a fazer pesquisas na internet para estudar inglês no estrangeiro. Vi todos os sites possíveis e imaginários, contudo, só consegui ter o feedback desejado quando contactei com a Information Planet.

Após uma conversa de 2 horas, a decisão estava tomada.. Austrália (Sydney) era o meu destino!

Após uma viagem de avião inesquecível, quer pelo cansaço, quer pela loucura que é viajar para o outro lado do mundo, lá aterrei em Sydney..

Estou a viver em Bondi Junction. Fica perto da famosa praia de Bondi Beach e a 20 minutos do centro da cidade.

Confesso que os primeiros dias foram estranhos, de algum nervosismo e ansiedade, mas passada essa fase, só posso dizer que todos esses sentimentos desaparecem num ápice.. quando nos apercebemos que estamos numa das cidades mais espectaculares do mundo.. As praias, a diversão nocturna, o movimento da cidade, a diversidade cultural, os parques (Hyde Park, Royal Bottanic Gardens, Centennial Park), Darling Harbour, Harbour Bridge e a inesquecível Opera House, fazem de Sydney um lugar apetecível para estudar, trabalhar e viver.

A experiência é bastante positiva, por isso, caso queiram fazer uma mudança radical na vida, essa mudança encontrará a sua cara-metade com a Austrália e provavelmente com Sydney!

gobazago.blogspot.com"


Henrique Pereira

"Viajar e conhecer a Austrália tem sido sempre um dos grandes sonhos da minha vida. Não só pela natureza e paisagens maravilhosas, mas essencialmente por ser uma nação jovem e com um enorme potencial de crescimento. A Austrália é o sexto maior país do mundo e tem apenas 20 milhões de habitantes, para além disso é famosa pela excelente qualidade de vida. Sendo uns pais com pouca população e de grandes dimensões tem carência de profissionais nas mais diversas áreas, ou seja, é um bom país para se recomeçar uma vida, é ao mesmo tempo um bom país para se fazer uma “career change”, se for esse o objectivo e como é óbvio é um país maravilhoso de se visitar.

Foi com esta vontade de conhecer e a minha completa saturação de Portugal que me fez entrar em contacto com a Information Planet. Gostei bastante do que ouvi e vi na sessão de apresentação a que compareci, recomendo vivamente a quem estiver com dúvidas em relação ao que fazer da vida e essencialmente a quem quiser uma experiência/aventura na vida. O único problema é escolher o curso ou definir objectivos, ou desculpas, para vir até cá. As hipóteses são muitas mesmo.

A IP tratou do meu processo de forma célere e positivamente descontraída. Foi bem mais fácil mudar a vida para Sydney do que marcar uma semana de férias na Serra da Estrela.

Até agora a experiência está a ser muito boa e estou a contar ficar por cá, pelo menos, 2 anos para fazer o curso de Sports & Fitness e depois logo se vê, no worries."


Daniel Vassalo

"Bem, vir para a Austrália não era um sonho, contudo rapidamente assim se tornou. Nunca em toda a minha vida pensei que isto fosse uma país tão organizado e que houvesse tanto civismo de facto um paraíso social. Arranjar trabalho foi relativamente fácil, ao fim de 3 semanas de ter chegado e ja tenho 2 trabalhos, um aos dias de semana e outro aos fins de semana.

Há muita coisa a acontecer a toda a hora, desde que cheguei já tive até o privilégio de ter visto a Nicole Kidman ao vivo!

Isto foi a melhor coisa que me aconteceu na vida, tenho aqui a vida que pedi a Deus, embora não esqueça que tive alguns receios de vir para cá, pelas muitas perguntas que me fazia a mim mesmo do tipo...como será Sydney? Será que vou conseguir arranjar trabalho e casa? Será que vou ter a vida muito dificultada, mais ainda do que em Portugal?

De facto não, isto tem sido excelente, o povo é excelente e super amigável já para não falar dos meus colegas de escola e de trabalho passo horas a rir todos os dias, é incrível!!

Já decidi que é aqui que quero passar o resto da minha vida, construir família e ter filhos pois as expectativas foram mais do que superadas!

Ah já me esquecia...NUNCA VI MULHERES TÃO LINDAS E TÃO PERFEITAS NA MINHA VIDA!

Obrigado por tudo IP!

sydneyflyer.blogspot.com"


 


Testemunhos - Dinamarca


Viviana Garcia

"Há cerca de um ano atrás não planeava emigrar, muito menos voltar a estudar. É certo que, como muitos, sentia o "bichinho" de sair do país e ir viver a aventura. Muitas vezes pensava nisto e, entre conversas sobre amores e desamores, emprego e desemprego, políticos e aproximações, de vez em quando atirava ao ar um "qualquer dia vou-me embora, fujo daqui", mas não havia nada de concreto, nenhum plano em curso.

Um dia, em conversa com um amigo que está agora em Aalborg, soube que na Dinamarca os cidadãos da União Europeia não pagam propinas. Assim que cheguei a casa, agarrei-me ao Google e tentei saber o máximo possível no menor espaço de tempo. Depressa comecei a ficar seriamente entusiasmada com a ideia de voltar a estudar, de viver na Escandinávia, de outra vez poder sentir que existe luz ao fundo do túnel que, neste caso, representaria a minha independência económica e carreira profissional.

Penso que depois da primeira reunião com a Information Planet, a decisão estava mais do que tomada.

Assim, estou em Aarhus há três meses e não podia estar mais contente com a decisão que tomei: a cidade é muito, muito bonita, acolhedora e dinâmica. Apesar de não ser uma metrópole, Aarhus é uma cidade cosmopolita e tem uma grande vida cultural. Este dinamismo está possivelmente também relacionado com o facto de ser uma das mais jovens cidades europeias (com cerca de 45.000 estudantes, sendo que um em cada oito vem de fora). Aqui também é possível desfrutar da Natureza e vida selvagem, para além dos imensos parques, em cerca de 20 minutos de bicicleta chegamos a um dos lagos, à praia ou à floresta. Sim, praia! Com areia!

Em relação à Aarhus University (que não só é uma das melhores universidades do mundo como também é a mais bonita), estou a adorar o sistema de ensino pois, para além de só ter aulas oito dias por mês, o ambiente é muito descontraído - aqui tratamos os professores pelo nome, sem doutores nem engenheiros - e a matéria é dada quase como se estivessemos a discutir um tópico entre amigos. Muito importante de referir que existe um ritual semanal chamado "Friday bar" em que o pessoal se junta no departamento - no meu caso é na sala de aula, onde também temos uma mesa de matraquilhos - à sexta feira à tarde para conviver (claro que isto, na realidade, se traduz em beber cervejas).

Conluindo, a Dinamarca é um país desenvolvido, economica e socialmente falando, um país de pessoas educadas, muito prestáveis e de mente aberta, que me permitiu voltar a sentir esperança num futuro onde existem conceitos como progressão de carreira, segurança e estabilidade. Quanto a Aarhus, poderia escrever muito mais mas também ainda estou a conhecer este pedaço escandinavo pelo qual é tão fácil nos apaixonarmos.

A todos os que estiverem a lutar para percorrer estes 3.000 km rumo ao país dos mais felizes: boa sorte e, quem sabe, até já!

Viviana Garcia"


João Guerreiro

"O meu nome é João Guerreiro, 28 anos, natural de Beja, licenciado em Gestão pelo ISEG e actualmente estou a frequentar o Mestrado de Gestão Global - Gestão de Operações e Inovação na Aalborg University, no Campus da belíssima cidade de Copenhaga.

Depois de experiências internacionais passadas em Moçambique e em Espanha, tinha a necessidade complementar a minha experiência profissional e académica com um Mestrado num país do Norte da Europa, e face a imensas vantagens face a outros países, a Dinamarca foi a opção natural pelo seu foco na Educação.

Sempre tive imensa curiosidade sobre a sociedade e cultura dos países nórdicos, e encontrei um país onde o foco é o bem-estar e satisfação da população, destaco a educação e sistema de saúde gratuítos, o equilíbrio trabalho-família, a excelente rede de transportes, a cultura de se deslocar de bicicleta e são alguns dos factores que fazem que este país tenha sido considerado como o mais feliz do mundo.

Entretanto, tive a oportunidade de conhecer pessoas de todos os cantos do mundo, o contacto com uma sociedade bem estruturada faz-nos ser mais exigentes conosco próprios e especialmente com o nosso país e fui nomeado como Embaixador da Boa Vontade pelo Ministério da Educação da Dinamarca, entre diversos alunos internacionais de várias Universidades na Dinamarca."


Vanessa Santos

"Chamo-me Vanessa Santos e tenho 29 anos.

Sou licenciada em Estudos Artísticos e trabalhava há 3 anos no Chapitô quando a crise se instalou e devorou o sector da cultura de uma só vez. Fiquei sem trabalho.

Em conversa com uma amiga, descobri a existência da Information Planet. Comecei por pesquisar o site e a ponderar bem as minhas hipóteses e decidi embarcar em mais uma aventura.

Tive que juntar a tal almofada financeira durante uns meses para cá estar, mas gasto cerca de 400 euros por mês.

Vir para a Dinamarca não era o meu sonho mas este país conquistou-me rapidamente. Desde o primeiro momento, quando cheguei ao aeroporto, tinha o Soren à minha espera com um grande sorriso estampado na cara. Não podia ter tido melhor “welcoming agent”. Levou-me até ao nosso alojamento e aí ficamos durante um mês. Viver em bungalows num parque de campismo, com casas de banho e cozinha partilhadas com 26 pessoas foi estranho no inicio, complicado de gerir no meio mas dificil de deixar no fim. Aí criamos relações como nunca poderíamos ter criado, vivendo todos separados.

Estou a estudar Natural and Cultural Management no campus da UCN em Hjorring. O curso tem tudo para ser fantástico mas ainda o sinto em fase experimental (é uma licenciatura que só existe há 2 anos).

A cidade é pequena mas para começar: o campus é fantástico! Temos piscina, um ginásio com máquinas, outro ginásio para desportos de grupo e escalada, 2 salas de música repletas de todas as famílias de instrumentos que possas imaginar, 2 cozinhas enormes, uma sala de estar, a sala do nosso curso para os nossos convívios, cafés e bolos, para as nossas artistices... e tudo para utilização gratuita! Já vi muitos campus universitários mas nunca nenhum como este!

Relativamente a encontrar trabalho tudo depende da motivação, atitude e sorte. Eu tive a sorte de encontrar um Chef que adora os meus trabalhos e por isso exponho no seu “Café com arte”, ou como eles dizem: “Kunstcafé”. Também sirvo às mesas quando é preciso e muito em breve, vamos começar a realizar alguns eventos!

Por isso é sempre a andar.

Não interessa onde estás, interessa sim é seres motivado/a e positivo/a. Uma pessoa tem que sair à rua e criar a sua network todos os dias. Convivendo com os locais, vou aprendendo a falar dinamarquês e com os internacionais, aprendo outras culturas, provo outros sabores.

Um grande obrigado ao Carlos Xavier pela sua paciência e auxílio.

Estou a adorar a Dinamarca."


Bruno Cardoso

"Estava eu um dia atento às notícias, quando passa uma reportagem sobre uma empresa que tratava das papeladas necessárias para enviar estudantes para o estrangeiro. Ora, como já tinha essa ideia em mente, foi um pulo até ir a uma sessão de esclarecimento, escolher a Dinamarca como destino e tratar de todas as coisas necessárias que me trouxeram até cá!

A Information Planet foi incansável a tratar das coisas, pelo que a mim pouco mais me coube a fazer que o obrigatório exame de inglês.

Escolhi Copenhaga por ter uma oferta educativa precisamente no que procurava. As instalações e serviços da universidade são excelentes. A Aalborg University – Copenhagen tem um sistema de ensino baseado na vertente prática, pelo que quase toda a avaliação é feita através de trabalhos práticos, o que se traduz numa semelhança com o que é possível encontrar no mercado de trabalho. O essencial é entregar os projectos dentro do prazo, e com qualidade. Por que caminho se opta para lá chegar, é um critério de cada grupo.

O dia-a-dia da cidade tem imensa vida. Ao contrário do que se passa em Lisboa e Porto, muita gente mora dentro de Copenhaga, razão pela qual é possível ver cafés, comércio, bares e supermercados sempre atarefados! Há imensos jardins e canais de mar na cidade, o que lhe dá um ar descontraído, em contraponto com o movimento nas ruas. Essencial? Arranjar uma bicicleta!

Complicado é arranjar alojamento, por isso, para quem queira vir, é começar a tratar do assunto o mais cedo possível!

Um obrigado ao Carlos Xavier e à Information Planet por me terem ajudado a chegar aqui."


Federico De Martino

"Na Dinamarca podem esperar ter igualmente uma qualidade de vida superior à de Portugal. Cuidados médicos sem custos alguns, estudos sem ter de se pagar propinas e muito mais.

Aalborg university já me proporcionou bastantes oportunidades desde que cá cheguei em Setembro, o que uma universidade em Portugal não seria capaz de me dar. O seu método de ensino (Problem Based Learning) faz com que os alunos tenham oportunidade de participar em projetos com diversas empresas nacionais ou mesmo internacionais desde o primeiro ano. Por exemplo, este semestre o meu projeto realizou-se com uma empresa no Uganda e para tal tive duas semanas no local para recolha de dados.

Os estudos aqui na Dinamarca não têm qualquer custo e os alunos podem esperar um alto nível de aprendizagem com as tecnologias mais recentes, infraestruturas modernas e um relacionamento mais informal com os professores e orientadores.

A information planet ajudou-me no planeamento da minha vinda para aqui desde a parte mais administrativa até à parte de ter de encontrar alojamento. Sem a ajuda da Information Planet provavelmente não teria vindo parar aqui em Aalborg."


Tiago Matos

"O meu nome é Tiago Matos, Português da Bélgica, tenho 21 anos. Sempre admirei os países escandinavos, o modo de vida e as pessoas em geral, foi daí que me mentalizei que tinha de ir estudar para um desses países. Escolhi a Dinamarca porque segundo certos estudos as pessoas na Dinamarca são felizes apesar do clima, são pessoas calmas e pacíficas, além de que as condições e método de ensino são bastante apelativos. Vir para Aalborg foi a melhor escolha que fiz. É uma cidade bastante agradável, apesar de não ser uma grande cidade como Copenhaga, Aalborg está cheia de vida. Há inúmeros estudantes vindos de toda a parte da Europa e alguns de fora. São muito sociais, devo dizer que a minha integração foi imediata. Aalborg é uma cidade de estudantes, uma cidade multi-cultural, o quer dizer que há sempre festas e tempo para diversão. Jom Fru Ane Gade é uma rua bastante conhecida e frequentada, cheia de bares diferentes e para todos os gostos.

Quanto aos jovens dinamarqueses são pessoas muito reservadas mas quando conseguimos " entrar no grupo " são jovens bastante amigáveis e cheios de humor é preciso é conhece-los.

Podemos deslocar-nos de táxi, autocarro, comboio enfim, eu optei por comprar uma bicicleta em segunda mão, além de me sair mais barato é uma boa maneira de conhecer melhor a cidade. Não há perigo nenhum em andar de bicicleta, há imensas pessoas que andam de bicicleta, tanto os estrangeiros como os dinamarqueses, aqui as estradas estão organizadas de forma a que as bicicletas possam circular livremente e sem perigo, havendo pistas em boas condições especializadas para bicicletas.

Na UCN o método de ensino é totalmente diferente, os professores não se limitam só a falar, a relação professor aluno, aluno professor é informal além de que eles querem que participemos que demos a nossa opinião, o que a meu ver acaba por ser muito mais produtivo Na UCN dão tanto valor à prática como à teoria. Eu escolhi estudar Hospitality, Service and Tourism Management com o intuito de algum dia poder vir a criar a minha própria cadeia de hotéis. Neste curso fazemos trabalhos, projectos, apresentações e outros, em grupo de forma a que possamos partilhar, debater e trocar opiniões com outros camaradas. A Ucn deu-me a oportunidade de visitar certas companhias relacionadas com o curso, de modo a vermos como é que tudo funciona na prática.

Arranjar alojamento é uma das dificuldades que se pode encontrar por aqui, a procura de apartamentos é muita. O clima é geralmente frio e seco, contudo não é nada de preocupante pois todas as casas e edifícios são aquecidos, na minha opinião até demasiado. Quando saio de casa para a ucn preciso de ir bem agasalhado mas, por exemplo, uma vez dentro do edifício da UCN estou de t-shirt.

Acredito que a minha passagem por aqui vai ser bastante enriquecedora e inesquecível e que me proporcionará óptimas saídas no futuro. Até agora não me arrependo de nada, só tenho coisas boas a dizer desta Terra que é a Dinamarca!"


Cátia Martins

"A curiosidade de estudar no estrangeiro sempre foi uma caracteristica minha. No ano passado em conversa com uma amiga minha surgiu a questão: “Então porque não experimentas a Dinamarca?”. A verdade é que nunca tinha pensado nisso, mas após esta conversa a pesquisa na internet surgiu e com ela a Information Planet, a informação do país mais feliz do mundo,a qualidade de vida, as oportunidades que poderia vir a ter, etc. Através da Information Planet consegui informar-me rapidamente do que era necessário para estudar na Dinamarca e como seria. Daí a enviar a minha candidatura foram dois dias!

Estou em Herning desde Agosto e posso dizer que estou bastante satisfeita, o nível de vida é elevado é verdade, mas se comparar-mos com Portugal não notamos grande diferença. A oportunidade de conhecer novas culturas, novas formas de trabalhar, pensar elimina todas as dificuldades que possam existir para aqui chegarmos. As oportunidades de trabalho são como em qualquer outro país estrangeiro em que não tenhamos conhecimento da língua, as mais básicas como por exemplo: limpezas, distribuição de jornais, etc. Não é rápido entrar no mercado de trabalho, mas existem oportunidades criadas pela faculdade e por empresas de trabalho temporário que dão uma ajuda.

As pessoas são muito amigaveis e tentam sempre ajudarem (desde que tu digas que precisas de ajuda) ao contrário do que a maioria das pessoas dizem (que os habitantes da Dinamarca são frios). O que custa mais a habituar é a diferença de temperatura a que estamos acostumados em Portugal. Mas após 6 meses a sair de casa com -7ºC e fazer 8klm de bicicleta ficamos habituados!

No fim de tudo isto o meu único conselho é: Venham estudar para a Dinamarca!"


Hugo Silva

"A razão de eu escolher Aalborg para meus estudos foi o facto de ser uma cidade que se preocupa com o meio ambiente, de as pessoas serem amigáveis e de ser fácil integrarmo-nos na sociedade.

Escolhi a UCN porque me ofereceu a escolha da educação que eu estava à procura (Design e Tecnologia). Sinto agora que estou pronto para começar a trabalhar como designer e estou feliz com minha experiência. A educação é profissional e correspondeu às minhas expectativas.

Aalborg é uma cidade calma e sinto-me confortável a morar aqui. A cidade tem um ambiente descontraído e relaxado.

Ser estudante aqui significa ter a capacidade de ter uma boa educação, uma experiência cultural rica e fazer amigos num ambiente internacional.

O que eu gosto mais gosto da UCN é o ambiente familiar que a faculdade oferece e, também, a maneira como os professores e os funcionários nos fazem sentir bem-vindos e ajudam em qualquer situação os estudantes internacionais.

A faculdade tem todos os equipamentos necessários, como se encontraria num emprego profissional. Os professores têm experiência no campo e dão aos alunos uma abordagem de aprendizagem que é descontraída, mas focada no mercado de trabalho.

Link do facebook do grupo de Portugueses em Aalborg:

www.facebook.com"


Maria Sepúlveda

"Na minha cabeça sempre tive bem claro que um dia iria estudar fora de Portugal. Podia ter sido mais cedo, no 12º ano, mas faltou-me a coragem. O assunto voltou-se a colocar este ano com a passagem para a faculdade, e aí estudar fora já era um dado adquirido.

Vir estudar para a Dinamarca não foi, na realidade, a minha primeira opção. Contudo, depois de ver tudo o que este país me proporcionava, desde uma Universidade com enorme prestigio a nivel mundial, a um curso que está entre os melhores do Mundo, a viver no país considerado o mais feliz do Mundo e conviver com estudantes internacionais diariamente, não tive grandes dúvidas quanto à escolha que tinha de fazer.

É claro que tive medo de ser demasiado nova e não me adaptar a uma cultura diferente da nossa. No entanto, ao fim de 5 meses a viver na Dinamarca posso dizer sem problemas que foi a melhor decisão que tomei. O que não invalida o facto de ter sido a aluna mais nova que entrou na faculdade este ano. O facto de estar a estudar em Herning, uma cidade onde a maior parte da população é constituída por estudantes internacionais, como eu, facilitou em muito a integração neste país, isto porque podemos ter a certeza que se nós estamos a ter algum problema (quer seja a nivel de papelada com que temos de lidar ou saudades da família e amigos que deixámos nos nossos países de origem), há sempre alguém que se encontra na mesma situação que nós e com quem podemos falar.

Viver em Herning não é barato, tal como nada é barato na Dinamarca e para dificultar ainda mais a nossa vida, os horários dos institutos de línguas por vezes não são compatíveis com os horários da faculdade o que complica bastante a tarefa de encontrar emprego (fazendo com que a maioria dos estudantes se fiquem pelas limpezas, isto quando conseguem arranjar emprego).

Como Herning é uma cidade relativamente pequena, mesmo vivendo nos “subúrbios” estou a 1km das residências da faculdade onde moram a maioria dos estudantes e a cerca de 1,5 km da faculdade. Em dias de frio apanho um autocarro e em 10 minutos estou na faculdade por cerca de 350 kr por mês (cerca de 40 euros).

Em termos de estudantes internacionais, é facílimo criarmos amizades verdadeiras, mas, no que toca aos dinamarqueses partilho aquilo que nos disseram assim que chegámos à Dinamarca: “Se querem fazer amizade com os dinamarqueses, levem-nos a um bar e ponham-nos a beber”. E a verdade é essa, os dinamarqueses são muito frios, mas quando estão com alguns copos em cima tornam-se pessoas super divertidas e comunicativas!

Estou a gostar imenso da minha experiência e recomendo vivamente a Dinamarca (particularmente Herning) a todas as pessoas que procurem uma boa faculdade e um ambiente social divertido enquanto disfrutam de uma vida completamente livre de stresse no meio do verde."


Pedro Galriça

"Olá!

A aventura na Dinamarca começou numa conversa com Miguel e com o Carlos e até agora não estou arrependido de ter vindo. Após ter efectuado a minha candidatura com a Information Planet,decidi vir em Maio,para conseguir arranjar quarto com mais facilidade. Dois dias depois tinha quarto,a 25 minutos de Copenhagen Business Academy e a um preço acessível. Enquanto aguardava pela resposta da escola, procurei trabalho e 2 meses depois já tinha part-time num restaurante (bom para conciliar com estudos) e CPR (imprescindível: sem ele não se faz nada na Dinamarca). Em Agosto, optei por ficar a estudar em Nørrebro, na KEA.

O sistema de ensino é bem diferente do nosso, a comunicação é sempre em Inglês e trabalha-se muito em projectos. Todas as sextas à tarde, Friday Bar com cerveja baratinha e matrecos à borla. Os dinamarqueses são simpáticos, prestáveis e muito ‘na deles’. Bebem que se fartam e aí sim vemos o espírito Viking a emergir!

Bicicleta dá um jeitão!

O mais romântico aqui,são os jardins e constante presença dos corvos e esquilos, junto aos lagos com cisnes e patos. Recomenda-se!!"


Testemunhos - Medicina


Bárbara Sepodes

"Viver em Riga tem sido uma experiência enriquecedora e feliz.

 

A Universidade tem professores competentes, dispostos a ajudar e capazes de perceber os problemas dos estudantes internacionais, o que torna a relação professor-aluno boa.

Em relação ao curso, penso que esteja bem estruturado em termos de disciplinas, com um horário sempre bom, capaz de proporcionar muito tempo livre.

Partilhar esta aventura com colegas vindos dos quatro cantos do mundo é provavelmente o que esta experiência tem de melhor, porque todos os dias aprendemos algo novo, criamos laços de amizade fortes, apesar de as culturas serem tão diferentes e dos valores de cada um de nós serem únicos."


Bruno Santos

"A universidade é muito exigente, mas prepara-nos bem para os desafios que vamos enfrentar no futuro. Os professores estão sempre dispostos a ajudar, e a avaliação é constante o que nos leva a estudar constantemente.

Tenho crescido individual e colectivamente em Riga."






Pedro Simões

"Eu chamo-me Pedro Simões, estou em Olomouc há mais de quatro anos e posso dizer que esta é realmente uma boa cidade para um estudante. Calma, limpa, com preços não muito altos e com tudo perto (10 minutos de bicicleta para o centro ou faculdade).

Os transportes são ligeiramente diferentes dos de Lisboa, pelo que são muito mais baratos e raramente estão atrasados mais que 1 ou 2 minutos. De Neredin (onde a maioria dos estudantes mora), há eléctricos que vão para o centro a cada 6 minutos durante o dia.

No Inverno neva bastante mas, ironicamente, passo menos frio aqui do que em Portugal, pois os quartos são muito bem aquecidos. A nossa vida aqui é calma, com saídas à noite para quem quer.

Vivo perto dos meus amigos, por isso é facil falar em pessoa, pedir ajuda ou jogar consola se alguém quiser. Quando cheguei cá pela primeira vez, conhecer os meus vizinhos e colegas ajudou imenso a minha transição e agora que há mais portugueses aqui, se for preciso alguma coisa é só chamarem-nos e nós se pudermos, ajudamos.

A linguagem é ainda mais complicada que o Português, mas quem quer aprender consegue falar com os locais. O ensino é um desafio e requer algum estudo em casa; os exames são difíceis mas com estudo passam-se; no entanto no 1º e 3º ano, no semestre do Verão destes anos é preciso estudar mais.

A cidade em sí é bonita e há restaurantes para se ir de vez em quando. Eu vou a um bar/restaurante muito relaxado em que servem sushi e tenho coleguas que vão a um “self-service” indiano."


Testemunhos - Reino Unido


Susana Tavares

"Cambridge é uma cidade linda e com espírito académico que só dá vontade de ficar lá a estudar!

Londres também não se fica atrás. É impossível ficar indiferente a esta cidade… A vida vive-se em Londres!

Em relação às escolas, apesar de ter gostado de Cambridge, a de Londres foi mais adequada à minha 'idade'

Uma experiência que recomendo e que irei repetir!"


 

Contactos


216 048 022